'Twisties': entenda o que afastou a ginasta Simone Biles dos Jogos Olímpicos

É muito comum ouvir que esporte é sinônimo de saúde, mas não é exatamente assim. Com frequência atletas de alto rendimento sofrem consequências do elevado grau de responsabilidade e cobranças a que são submetidos. A busca pelo melhor resultado em todas as competições e pela superação a todo momento podem gerar crises emocionais fortes, se não forem acompanhadas por um profissional especializado.

O que aconteceu com a ginasta norte-americana Simone Biles nos jogos olímpicos de Tokyo não é algo incomum entre os atletas. O que a ginasta teve é conhecido como Twisties, que significa uma perda de referência espacial, onde o atleta por alguns segundos não sabe onde está, se está muito ou pouco próximo do chão e em qual direção está indo. Muito comum entre os atletas de trampolim, também é motivo de preocupação e atenção entre ginastas.

Essa perda de referência é ocasionada, principalmente, por picos de estresse e ansiedade, podendo causar danos sérios aos atletas que podem se machucar seriamente se caírem de forma errada no chão. Alguns dos motivos que podem gerar os twisties nos atletas são as cobranças por resultado, seguidos de treinamentos exaustivos. Por isso é tão importante o acompanhamento psicológico para averiguar, a todo instante, se a saúde mental dos atletas está boa, evitando assim o risco de lesões maiores.

A prática esportiva é muito benéfica para a saúde, pois produz hormônios que melhoram a saúde mental, a sensação de bem-estar, além de proporcionar benefícios para a saúde física também. Mas é importante ressaltar que, toda prática de atividade física deve ser acompanhada por um profissional capacitado. Professores de educação física, treinadores e fisioterapeutas estão preparados para observar todas as necessidades que o praticante necessita e encaminhar para outros profissionais, caso necessário.

Movimente-se e cuide-se!