Saúde mental dos adolescentes nas redes sociais

Um relatório recente divulgado pelo Facebook traz informações sobre como o Instagram afeta a saúde mental de adolescentes. O material divulgado mostra a busca desenfreada pela  perfeição na rede social, com base em pesquisa com os jovens usuários do Reino Unido e dos Estados Unidos.  Na pesquisa anteriormente divulgada pelo The Wall Street Journal , os analistas pediram para os adolescentes apontarem os sentimentos que foram desencadeados ao usarem o Instagram. Entre os britânicos entrevistados, 51% afirmaram que o sentimento mais comum foi a necessidade de criar uma imagem perfeita. Já entre os norte-americanos, a taxa foi de 39%. Muitos também disseram não se sentirem atraentes (43% do Reino Unido e 41% dos Estados Unidos) e que a rede social causou a impressão de que não têm dinheiro ou amigos o suficiente. Além disso, 13% de britânicos e 10% de norte-americanos relataram sentir depressão e tristeza, e 13% dos jovens do Reino Unido apontaram a vontade de tirar a própria vida. No caso de adolescentes que lutam para melhorar a saúde mental, a maioria afirmou que usar o Instagram faz com que se sintam pior. Apesar dos dados alarmantes, os pesquisadores observaram que a maioria dos adolescentes não relataram nenhuma intenção de abandonar  a rede social por medo de perderem as tendências. A reportagem publicada pelo Wall Street Journal no início do mês denunciou a empresa de tecnologia por saber que a rede social é prejudicial a uma parte considerável de jovens no mundo. O Instagram prontamente negou as afirmações e afirmou que a pesquisa foi descaracterizada. Porém, a companhia decidiu divulgar algumas das informações contidas nos documentos e deu uma pausa nos planos de criar um “Instagram Kids”.