Janeiro Branco: mês da saúde mental

O Janeiro branco é uma campanha que pretende chamar atenção da sociedade para as questões e necessidades relacionadas à saúde mental e emocional. A data foi criada em 2014 e o mês foi escolhido porque é o primeiro mês do ano e as pessoas estão mais propensas a traçar metas, focar mais em seus objetivos e repensar a vida. É, como em uma “folha ou em uma tela em branco”, todas as pessoas podem ser inspiradas a escreverem ou a reescreverem as suas próprias histórias de vida.

A campanha tem como objetivo ajudar a sociedade a entender que o debate sobre o psíquico é de grande importância para evitar o adoecimento emocional da humanidade. Os idealizadores desse mês sancionaram uma lei que estabelece algumas diretrizes para ações informativas e preventivas como a divulgação e o estímulo à discussão sobre a saúde mental, utilizando o simbolismo da cor branca, e convoca a sociedade para palestras, debates e eventos sobre o tema.

Em março de 2020, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), advertiu que a quarta onda da pandemia seria relativa às doenças mentais. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 5,8% da população brasileira apresenta depressão, doença que atinge 4,4% da população mundial. Ainda, o Brasil é o país com maior prevalência de ansiedade em todo o mundo (9,3%). O terceiro maior problema psicossocial, o estresse, se tornou uma constante no cotidiano de toda a população mundial. Entretanto, muitos pacientes psiquiátricos não recebem ajuda, simplesmente pela vergonha causada pelo preconceito em admitir o que é muitas vezes visto como uma fraqueza, muito embora seja, na realidade, vulnerabilidade e doença.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica a saúde mental como um estado de bem-estar no qual uma pessoa consegue desempenhar suas habilidades, lidar com as inquietudes da vida, é capaz de trabalhar de forma produtiva e contribuir para a sua comunidade. A saúde da mente está relacionada diretamente à forma como reagimos às exigências da vida e lidamos com os nossos desejos, capacidades, ambições, ideias e emoções.

Os especialistas alertam que os cuidados com a saúde mental devem acontecer em todas as fases da vida de crianças, adolescentes, adultos e idosos. Os sinais de alerta com a saúde mental podem ser expressados através do isolamento de pessoas ou atividades que antes despertavam interesse; baixa autoestima; sentimento de desprazer diário; medos imaginários/fantasmáticos; uso abusivo de álcool e outras drogas; agressividade.

Existem diversos motivos que podem levar uma pessoa à depressão e à ansiedade, como transtornos psiquiátricos, estresse crônico, disfunções hormonais, vícios (cigarro, álcool e drogas ilícitas), experiências de violência doméstica ou abuso, perda do emprego, desemprego por tempo prolongado, separação conjugal, ambiente familiar e social, entre outros.

O cuidado oferecido às pessoas em sofrimento psíquico deve ser orientado por profissionais que são capacitados na área de saúde mental, tendo em vista a importância do acompanhamento e o tratamento relacionado à medicação e ao acompanhamento psicossocial, observando as necessidades de cada caso.

Reúna a sua turma, fale com colegas de trabalho, da escola, da igreja, chame a família e organize palestras, rodas de conversa, caminhadas, tira-dúvidas sobre qualidade emocional de vida, entrevistas e, também, muitas atividades on-line para espalhar a boa notícia de que Saúde Mental tem jeito sim, mas todo mundo precisa aprender o que fazer.