Ansiedade: Entenda um pouco mais e veja como se ajudar

Em termos simples, podemos dizer que a ansiedade tem uma relação bem próxima com a necessidade de controle, muito ligada às expectativas.

Palpitação, falta de ar, “nó na garganta”, “aperto” no peito, “balançar as pernas”, pensamentos controversos persistentes (não vai dar certo, não vou conseguir, não vai dar tempo…) sentimento de desorientação ou de sentir-se perdido, paralisação, alteração do sono e do apetite.... quando alguns desses sentimentos chegam à intensidade do “incômodo”, são sintomas de ansiedade.

Então, aqui vão algumas dicas que podem funcionar muito bem para diminuir a ansiedade:


1. Organize uma rotina possível para o seu dia. Eu disse o DIA, não a semana!! Organize-se de forma possível considerando atividades X tempo. Para isso, RESPEITE seu ciclo vital (suas competências físicas). Não coloque atividades que você não suporta, mas tem que fazer todas juntas em um só dia ou horário. Seja gentil com você mesmo e divida o “peso” das chatices.


2. Para isso, é preciso uma certa dose de AUTOCONHECIMENTO: Invista na autopercepção - sem CRÍTICAS e sem ataques pessoais. Compreenda e aceite generosamente aquilo que você gosta e não gosta de fazer e seja solidário a você mesmo quando precisar cumprir com as tarefas. Entenda que o que você não gosta de fazer, demanda mais tempo e mais esforço de você, então, coloque essas atividades no período do dia onde você se percebe mais produtivo e mais disposto. Assim, as atividades mais “interessantes e felizes”, ajudam você a se sentir mais animado nos períodos menos produtivos – seja você mesmo o seu próprio incentivo!


Ao incentivar-se, perceba sua alegria e seu prazer. Compreenda o que te faz feliz e o que te traz alegria, prazer e felicidade – converse com INTIMIDADE com você mesmo. Ouça seus pensamentos, perceba seus sentimentos e, o mais importante, nomeie os seus sentimentos, porque isso será a chave da questão para você entender seus LIMITES e poder respeitá-los. Lembre-se: os excessos levam ao fracasso!

Observe a sua respiração e a tensão no seu corpo. Geralmente, quando estamos ansiosos, respiramos de forma superficial e curta - a mesma respiração do medo (o cérebro entende isso e se organiza contra o medo), e o corpo se tensiona, enrijece (resposta do corpo ao alarme do cérebro), assim, sempre respire lenta e profundamente, e preste atenção na rigidez dos seus ombros, do seu maxilar (dentes trancados), do seu pescoço, do seu abdome (principalmente) e da parte de baixo das suas nádegas. Tente relaxar tudo isso. Não é preciso nenhum movimento especial. Apenas RELAXE. DESTRAVE.

Observe a sua alimentação e tente alimentos mais saudáveis, mais “leves”. Se puder, faça uso de chás naturais, e cuide do seu corpo. Ao dormir esteja sempre quentinho e confortável. Desligue-se ao menos uns 20 minutos das “redes” antes de deitar-se… reconheça as notícias e as “pessoas” que “agitam” você, que fazem seus pensamentos se agitarem em preocupações e ponderações críticas. Evite as notícias que geram tensão e medo.


Pratique Mindfulness e eleja uma atividade que movimente seu corpo e lhe seja prazerosa!! Dance!! Cante alto no chuveiro e ao dirigir. Exercite o sorriso ao cantar. Alegre-se.

Tome cuidado com as drogas de todos os modelos - as lícitas e as ilícitas. Limite-se sempre à prescrição médica (quando houver) e se não estiver surtindo o resultado esperado, procure o médico novamente, tenha uma conversa franca com ele. Ele vai ajudar.

Eleja pessoas para estar com elas - mesmo que seja por vias digitais. Partilhe. Ouça. Fale. Troque. Mas não se esqueça: pessoas são únicas e especiais. Cada uma tem suas potencialidades e limites. Portanto, o amigo da “confissão”, talvez não seja o mesmo da piada!!! Mas os dois são muito valiosos!!

Descanse. Durma à noite. Uma das características da depressão ansiosa é “acordar do nada” entre às 3/4 horas da manhã e não conseguir dormir de novo. Quando isso acontece de forma persistente, pode gerar um certo esgotamento, que gera irritação, cansaço, atraso nas tarefas, sentimento de impotência e, isso tudo junto, gera mais ansiedade!! Durma bem!!! Se a dificuldade de dormir se mantiver, consulte um psiquiatra – ele é o ESPECIALISTA correto para ajudar você. Não fique submetido ao sofrimento. Lembre-se de se ajudar. Você NÃO MERECE SOFRER.

FAÇA TERAPIA. Invista FORTEMENTE em você mesmo! Esse é o caminho mais seguro, duradouro e inteligente para conquistar a sua liberdade! Acolha-se! Compreenda suas potencialidades! Respeite seus limites! A terapia vai lhe ajudar a viver melhor!!!