4 em cada 10 trabalhadores preferem esquema de trabalho híbrido, diz pesquisa

Pesquisa realizada pela Vagas.com mostrou que os trabalhadores preferem um modelo de trabalho que mescla atividades presenciais e remotas. A manutenção do relacionamento presencial com outras pessoas da empresa foi o principal motivo apontado pela preferência do trabalho que mescla atividade presenciais e remotas. Entre os motivos para ainda manter o trabalho remoto está a preocupação para evitar tempo e gastos com deslocamento.

Os respondentes da pesquisa elegeram o sistema híbrido como o modelo mais adequado para trabalhar, com 42% de aceitação. O trabalho presencial foi a preferência de 32%, enquanto o método totalmente remoto foi a escolha de 26%.

Com a flexibilização da pandemia, começou a ser implantado o modelo híbrido de trabalho, e os funcionários foram percebendo que era possível aliar sua atividade profissional com outras de cunho pessoal. Para os pesquisadores essa nova forma de lidar com o trabalho veio para ficar e já é um diferencial competitivo das empresas como forma de atração e retenção de talentos.

O levantamento também procurou saber quantos dias seriam ideais para se trabalhar na empresa. Os respondentes apontaram preferencialmente três dias (41%), seguido por dois dias (33%), quatro dias (14%), um dia (5,6%) e outros (6,4%).


Os principais motivos, apontados pelo levantamento, para a preferência pelo modelo híbrido de trabalho foram:

  • manutenção do relacionamento presencial com outras pessoas da empresa (31%)

  • flexibilidade para adequar o trabalho a outras atividades domésticas (16,8%)

  • evitar a locomoção diária até o trabalho (14%)

  • ganhar tempo para outras atividades pessoais (8,8%)

  • ter maior foco e concentração (7%)

  • poder cuidar de filhos ou outros familiares em alguns dias (5,5%)


Os que optaram pelo modelo presencial, os motivos que mais se destacaram pela escolha desta opção foram:

  • ter maior foco e concentração (37%)

  • ter relacionamento presencial com outras pessoas da empresa (32,6%)

  • ter um ambiente adequado para trabalhar - móveis e infraestrutura (16,4%)

  • sair do ambiente doméstico (4,3%)

Quem prefere o trabalho totalmente remoto aponta os seguintes motivos pela preferência:

  • possibilidade de trabalhar em empresas de qualquer região no Brasil e exterior (27,5%)

  • evitar a locomoção até o trabalho (14%)

  • cuidar de filhos e outros familiares e ganhar tempo para outras atividades pessoais (11,75% em cada)

  • ter flexibilidade para adequar o trabalho a atividades domésticas (10,4%)


Muitas empresas mantiveram o modelo remoto ou híbrido mesmo após as flexibilizações de distanciamento da pandemia, mas outras retornaram para o presencial. O importante é buscar o modelo que mais se adapta à sua preferência e tentar manter uma rotina adequada para o seu bem-estar físico e mental.